quarta-feira, 2 de outubro de 2013

DEIXE O PRÍNCIPE TE ACHAR

Quando se trata de paixão, ao aconselharmos alguém é comum ouvirmos dizer: mas é o que eu quero, isso é amor! Não há ninguém que não conhecendo o VERDADEIRO AMOR possa amar verdadeiramente.

Muitos confundem a paixão com o amor, devido a uma carência afetiva, que facilmente é preenchida com atenção, promessas de carinhos, e por aí vai...

Geralmente essas gentilezas se apresentam no momento de maior fragilidade de um coração. Mas, isso representa o fogo da paixão... que aquece, é acolhedor, mas que não resiste a um balde de água fria... é só os problemas surgirem, e aí é que vem a lamentação, a reflexão por não ter ouvido á direção de Deus.

Quando alguém diz que nada vai impedir o seu querer, esse alguém ainda não teve um encontro com Deus, visto que a sua vontade pessoal, sua paixão está em primeiro lugar. Por isso, acha que na força de seu braço é que sua vontade se faz.
Entretanto, o verdadeiro AMOR tem sua fonte derramada no altar do sacrifício, da renúncia, da entrega pessoal do SENHOR JESUS por cada um de nós.
É fácil discernir o estrondo de uma paixão enganosa para quem teve um encontro com o VERDADEIRO AMOR. A paixão é como fogos de artifício, que fazem muito barulho, lindos de se ver, mas que logo se apagam.
Saiba que a paixão nasce do próprio querer e o verdadeiro amor nasce do querer de DEUS.
Só podemos conhecer e provar o VERDADEIRO AMOR se formos capazes de renunciar nossas vontades pessoais, confiando a vida plenamente nas mãos de Deus.
Escolhas feitas baseadas em emoções são como chuva de verão,
passam rápido, mas, causam sérios estragos...
Quem teve um encontro com o verdadeiro AMOR, sabe priorizá-Lo, se importa em agradá-Lo, em serví-Lo com a sua fé, não mede sacrifícios em sua renúncia pessoal para não perder sua aliança. Nunca se conduz inconvenientemente, não se exaspera, tudo espera segundo á vontade de DEUS.
Quem espera o VERDADEIRO AMOR em sua vida sentimental, não se desespera, porque nunca está só, sempre está na companhia de SEU MELHOR AMIGO.
Somente quem teve um encontro com o VERDADEIRO AMOR
sabe renunciar para serví-Lo.

A bênção do Senhor é que enriquece e não acrescenta dores”.
 Provérbios 10:22
Pense... Deus não te dará um problema, ELE te dará a Sua benção.
 'Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará,
e viremos para ele,  e faremos nele morada."João 14:23
Corra para o centro da vontade de DEUS...
É lá, que os seus príncipes encontram as suas princesas...
Pela fé no VERDADEIRO AMOR, para quem espera e crê!

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

A certeza da volta de Cristo
Pastor Alan Brizotti
Estamos diante de um texto arrebatador. Um texto que nos mostra a mais extraordinária promessa de Jesus: seu retorno!
Ao longo da história, a igreja vem sondando, indagando, vasculhando os eventos, para obter pistas da proximidade desse glorioso evento.
Geração após geração, os salvos miram o horizonte da história em busca desse dia.
Essa esperança não pode morrer. Tudo pode passar, mas essa promessa, jamais!

Vejamos algumas imagens que esse texto nos dá para que visualizemos a promessa do glorioso retorno de Cristo:

I – A imagem do encontro: visualize o abraço do Amado
“Venho sem demora”: Jesus sabe que o homem detesta esperar.
Ele nos alimenta com a expectativa do tão esperado encontro.
Muitos desistem de esperar. Iludidos pela sociedade da pressa, abrem mão do encontro nas nuvens (“Nuvem” é indicativo da Presença de Deus - Êx. 12, 16, 24, etc.).
Podemos treinar para esse encontro fabuloso: sempre que encontramos com Deus e com os irmãos no templo!

II – A imagem da recompensa: visualize o reconhecimento do justo
É a vitória final sobre todas as batalhas. É subjugar todos os inimigos. Os inimigos de dentro e de fora.
O galardão prioriza a individualidade: “a cada um”. É a distribuição justa que honra o esforço e a identidade. Deus nos conhece!
Uma pergunta intrigante: “Pode haver recompensa maior a alguém que ganhou a eternidade?” É semelhante ao casamento: você casou, isso é sua conquista; os presentes do casamento, são reconhecimento de outros – conquistas dos outros para você!

III – A imagem do domínio total: visualize a conquista sobre o tempo
“Alfa e ômega”: dono dos dias (Dn. 2.21). Venceremos a tirania do tempo.
A eternidade é a conquista dos que vencerão as noites de dor e lágrimas.
(Sl. 90.12): “contar os dias”: a dura tarefa de ordenar as cadências da vida.
Não é fácil vencer os dias – mas, diante do Soberano do tempo temos a certeza feliz de que “o choro pode durar uma noite...” (Sl. 30.5).

Visualizemos essa fantástica promessa que Deus fez para nós!


Pr. Alan Brizotti
Escritor, professor de teologia, pesquisador das áreas de espiritualidade e filosofia, conferencista e articulista.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

A Preparação do Professor

Com o chamado para o ensino, o professor deve se preparar para que exerça de exitosa a tarefa que lhe foi dada, pois esta nobre atividade requer dedicação, conforme lemos em Romanos 12:7: "... se é ensinar, haja dedicação ao ensino”.

Este texto trata da preparação do professor da Escola Bíblica Dominical em 04 níveis: espiritual, teológico, secular e pedagógico.

1 – Preparação Espiritual:
O professor da EBD deve se preparar espiritualmente, através da oração, do jejum e da leitura bíblica de forma sistemática. Veja alguns exemplos do mestre Jesus
“... Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar...” Mt 26.36
“E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites...” Mt 4. 1 e 2
            É bom ressaltar que no momento de oração, o professor deve orar também por seus alunos. Ao preparar a aula peça ajuda ao Espírito Santo.

2 – Preparação Teológica:
É muito importante a preparação teológica. Professor, prepara-se para dar aula! Leia pelo menos duas vezes a lição e em seguida procure aprofundar o tema da aula em livros, periódicos e sites confiáveis, para que você se sinta seguro para ministrar o assunto.

3 – Preparação Secular
O preparo secular é outro ponto que o professor não pode negligenciar. Estude sempre, cultive o hábito de ler. Mantenha-se informado sobre os acontecimentos ocorridos na sua cidade, no seu estado, no Brasil e no mundo e procure contextualizá-los com o tema da lição ou com o tipo de aluno que você ensina.
 “Persiste em lê...” I Tm 4.13
“Examinai tudo. Retende o bem”. I Ts 5.21

4 – Preparação Pedagógica
É muito comum encontrar professores da EBD que não possuem formação pedagógica. E agora? Você foi chamado para ensinar, então é necessário que sua preparação seja completa.
Se puder, sugiro que você faça um curso de Pedagogia.  Há muitas facilidades para ingressar em um curso como este, com aulas presenciais e/ou à distância, os preços também são bons. Fica a dica! Você pode encontrar outras alternativas de tomar conhecimento da pedagogia,  participando de congressos, de conferências, de reuniões pedagógicas etc. Não perca as oportunidades!

Enfatizo a importância do preparo pedagógico, para que você possa compartilhar de forma adequada os conhecimentos referentes a cada lição. Escolha métodos de ensino variados, utilize dinâmicas, leia bons livros pedagógicos, planeje a aula, não improvise, dinamize o ensino, procure envolver os alunos com a aula, mantenha vínculos com os alunos.
Leia os textos pedagógicos deste blog (procure no marcador “Subsídios Pedagógicos”), eles tratam de temas pertinentes  ao ensino.
Quer ser um professor bem sucedido? Observe e ponha em prática as orientações expostas acima, agregando a alegria e motivação para ensinar.

“Dá Instrução ao sábio e ele se fará mais sábio...” Pv 9.9

Fonte: Sulamita Macedo - Pedagoga e Palestrante para Professores de EBD

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Confrontando os inimigos da Cruz de Cristo – 1


por Pr. Maurício Brito
Texto Básico: Filipenses 3:17-21
“Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo” (Fp 3:18).

INTRODUÇÃO

Nesta Aula, veremos o zelo do pastor para com as suas ovelhas, pois o verdadeiro pastor é aquele que protege o rebanho dos falsos mestres. Paulo pregou a verdade e denunciou o erro; ele promoveu o evangelho e combateu a heresia. Não fazia relações públicas acerca da verdade para agradar as pessoas. Ele chamou os falazes mestres de “inimigos da cruz de Cristo”. O seu zelo pastoral o levava às lágrimas na defesa de suas ovelhas; ele se comovia ao perceber que algum perigo as ameaçava. A preocupação do apóstolo era que os falsos mestres(provavelmente judaizantes legalistas ou gnósticos) se aproximassem dos crentes filipenses. Esses falsos mestres eram considerados por Paulo “inimigos da cruz”, pessoas que trabalhavam para esvaziar o sentido da Cruz de Cristo. Ele pede aos crentes de Filipos que lutem contra esses inimigos a fim de que não venham sucumbir na fé. Esta advertência de Paulo deve ser levado a sério pela igreja na atualidade, pois atualmente também muitos são os inimigos da cruz de Cristo.
I. EXORTAÇÃO À FIRMEZA EM CRISTO (Fp 3:17)
“Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós”(ARA).
1. Imitando o exemplo de Paulo (Fp 3:17a). Paulo encoraja os crentes de Filipos a buscarem a semelhança de Cristo seguindo o exemplo do próprio Paulo. Eles não deveriam seguir falsos mestres ou os inimigos da cruz (Fp 3:18). Em vez disso, como Paulo enfocava a sua vida em ser como Cristo, eles também deveriam fazer o mesmo.
Devemos estar cônscios de que Paulo jamais usaria de presunção para exortar os crentes de Filipos nestes termos, haja vista que ele sempre enfocou Jesus Cristo e rogou aos crentes para também seguirem o exemplo de outros que seguiam a Cristo. Portanto, Paulo rogou que os filipenses o imitassem como um guia prático de conduta. Na verdade, Paulo considerava-se receptor da misericórdia de Deus, cujo propósito era ser “padrão” para os demais cristãos. Ele era um paradigma para os crentes tanto na questão da doutrina quanto na questão da ética. Ele era modelo tanto na teologia quanto na vida. Seu ensino e seu caráter eram aprovados. Sua vida confirmava sua doutrina, e sua doutrina norteava a sua vida.  Assim, toda sua vida depois da sua conversão foi dedicada à tarefa de apresentar aos outros um esboço do que o cristão deve ser.
Deus salvou Paulo com a finalidade de mostrar ao mundo, pelo exemplo de sua conversão, que o que fez na vida dele também pode e fará na vida de outros. Você pode fazer o mesmo? Você está servindo de exemplo para aqueles que foram salvos pela graça de Deus? Que tipo de seguidor um novo cristão se tornaria se ele lhe imitasse?
2. O exemplo de outros obreiros fiéis (Fp 3:17b). “…observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós”. Aqui, Paulo está reconhecendo o valor da influência testemunhal de outros cristãos, cujas vidas eram baseadas na dele (aqueles crentes maduros mencionados em Fp 3:15). Isso faz referência a quaisquer outros que experimentassem a mesma qualidade de vida que Paulo. Em fim, os cristãos de Filipos deveriam observar a conduta dos fieis cristãos, tal como a de Timóteo, Epafrodito e outros, e aprenderem com eles, a fim de não se desviarem da fé. É claro que hoje temos o nosso compêndio doutrinário, o Novo Testamento, disponível à igreja. É dele que advém todas as diretrizes para que andemos como filhos e santos de Deus. Ele é infalível e imutável em seus ensinos. Ele é a bússola que nos conduz ao destino certo.
II. OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO (Fp 3:18,19)
“Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo.
“O fim deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas”.
1. Os inimigos da cruz de Cristo(Fp 3:18). Assim como em Filipenses 3:17 o apóstolo Paulo diz a quem os crentes devem seguir, no versículo 18 diz a quem não devem seguir. O apóstolo não identifica quem são esses inimigos da cruz de Cristo. Não diz se eram os falsos ensinadores judeus mencionados em Fp 3:2 ou se eram ensinadores que se diziam cristãos, mas transformavam a liberdade em licenciosidade e se serviam da graça como pretexto para pecar.
Paulo havia alertado os cristãos acerca desses falsos mestres, agora o faz outra vez, “até chorando”. Por que ele chorou ao fazer tão grande denuncia? Por causa do mal que esses falsos mestres causaram às igrejas de Deus. Por causa do opróbrio que trouxeram ao nome de Cristo. Por causa das vidas que arruinaram. Porque estavam ofuscando o verdadeiro significado da cruz. Sim, e também porque o verdadeiro amor chora quando denuncia os “inimigos da cruz de Cristo”, assim como o Senhor Jesus chorou pela cidade de Jerusalém.
2. ”O deus deles é o ventre” (Fp 3:19a). A expressão “o deus deles é o ventre” denota aqueles que adoram a carne através das práticas sensuais desenfreadas. Os “inimigos da cruz” viviam o aqui e o agora, e jamais pensavam na eternidade – “comamos e bebamos que amanhã morreremos”. Esta postura visava destruir o Evangelho e todo o progresso dele na vida dos filipenses. Além de sensuais, os falsos mestres invalidavam a suficiência da cruz de Cristo com suas atitudes degradantes e sem quaisquer escrúpulos. Paulo diz que para eles, não há outro destino, se não, o da perdição eterna, ou seja, a separação eterna de Deus, que é a segunda morte.
Segundo o rev. Hernandes Dias Lopes, os “inimigos da cruz de Cristo” vivem encurvados para o próprio umbigo. “Ventre”, neste versículo, vem da palavra “koilia”, que pode significar “útero” ou “umbigo”. Assim sendo, Paulo pode estar simplesmente comentando o egocentrismo deles. Portanto, tudo quanto faziam era fixar os olhos no próprio umbigo. O deus deles eram eles mesmos. A vida deles eram centrada neles mesmos. Eram adoradores de si mesmos. Em vez de procurar manter seus apetites físicos sob controle (Rm 8:13; 1Co 9:27), compreendendo que nosso corpo é o templo do Espírito Santo, no qual Deus deve ser glorificado (1Co 6:20), essas pessoas se entregavam à glutonaria e à licenciosidade”.
3. “A glória deles é para confusão deles mesmos” (Fp 3:19b). Os “inimigos da cruz de Cristo” se gloriavam de coisas das quais deviam se envergonhar: sua nudez e seu comportamento imoral. Eles escarneciam da virtude e exaltavam o opróbrio. Ao mal, chamavam bem, e ao bem, mal; faziam das trevas luz, e da luz, trevas; colocavam o amargo por doce, e o doce, por amargo (Is 5:20). Eles não apenas levavam a bom termo seus maus desígnios, mas ainda se vangloriavam disso. A glória desses falsos mestres era para “confusão deles mesmos”. A recompensa deles era fugaz. A decepção deles era certa. A ruína deles era veloz.
4. “que só pensam nas coisas terrenas”(Fp 3:19c). Para os “inimigos da cruz”, as coisas importantes da vida eram comida, vestimenta, honras, conforto e prazer. Comportavam-se como se fossem viver sobre a terra para todo o sempre. Esta história se repete atualmente. Concordo com o rev. Hernandes Dias Lopes ao dizer que “muitos líderes religiosos, sem temor, têm-se empoleirado no púlpito, usando artifícios e malabarismos, com a Bíblia na mão, arrancando dinheiro das pessoas, fazendo promessas que Deus não faz em Sua Palavra. Esses obreiros fraudulentos, sem nenhum escrúpulo, mercadejam o evangelho da graça, para alimentar a sua ganância insaciável. Hoje, a religião, para muitos, tem sido um bom negócio, uma fonte de lucro, um caminho fácil de enriquecimento. O mercado da fé tem produto para todos os gostos. A oferta é abundante. A procura é imensa. A causa é a ganância. A consequência é o engano. O resultado é a decepção. O fim da linha é o inferno”.
III. O FUTURO GLORIOSO DOS QUE AMAM A CRUZ DE CRISTO (Fp 3:20,21)
“Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas”.
O apóstolo Paulo, depois demonstrar o seu zelo pastoral, alertando acerca dos “inimigos da cruz de Cristo”, lança o seu olhar rumo ao futuro e destaca três gloriosas verdades que são as âncoras de nossa esperança.
1.  O Céu é a nossa Pátria - “Mas a nossa cidade está nos céus” (Fp 3:20). O Céu é um lugar e um estado. É o lugar da morada de Deus e da sua Igreja resgatada, e um estado de bem-aventurança eterna, onde jamais entrarão a dor, a lágrima, o luto e a morte.  Enquanto os falsos mestres tinham os seus pensamentos voltados aos assuntos terrenos (Fp 3:19), os crentes deveriam desejar fervorosamente o seu Lar.
Na época em que a epístola foi escrita, Filipos era uma colônia de Roma (At 16:12). Desta feita, aqueles que moravam em Filipos tinham a sua cidadania romana, embora a maioria dos filipenses jamais tivesse estado na cidade de Roma. A cidadania romana era altamente estimada à época de Paulo. Os cristãos em Filipos, tão orgulhosos de sua cidadania romana (At 16:20,21), deveriam ter valorizado ainda mais a sua cidadania nos céus, onde o Senhor Jesus Cristo vive. Os crentes deveriam ter considerado a si mesmos como “peregrinos”, vivendo temporariamente em um pais estrangeiro, com o seu Lar em outro lugar. Um dia eles iriam experimentar todos os privilégios especiais de sua cidadania celestial, porque Cristo iria voltar como seu Salvador. Os crentes estão esperando o Salvador voltar do Céu para a Terra, em sua segunda vinda. Enquanto estavam na Terra, os crentes eram cidadãos de seu país (os filipenses eram cidadãos de Roma, estando, portanto, sob o governo de César); contudo, a lealdade absoluta deveria ser dedicada ao único Salvador verdadeiro, o Senhor Jesus Cristo, que governa nos céus, onde todos os crentes possuem a sua cidadania definitiva.
Somos peregrinos neste mundo, não somos daqui. Nascemos de cima, do alto, de Deus. O Céu é a nossa origem e também o nosso destino. O nosso nome está arrolado no Céu (Lc 10:20), está registrado no livro da vida (Fp 4:3). É isso que determina nossa entrada final no país celestial (Ap 20:15).
Por causa da expectativa de habitar em uma cidade superior, Abraão contentou-se em viver em uma tenda (Hb 11:13-16). Por causa da expectativa da recompensa do Céu, Moisés dispôs-se a abrir mão dos tesouros do Egito (Hb 11:24-26). Por causa da esperança de vivermos com Cristo no Céu, devemos buscar uma vida de santidade hoje (1Jo 3:3).
2. A segunda vinda de Jesus é a nossa esperança – “donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”. A igreja é a comunidade da esperança. Somos um povo que vive com os pés no presente, mas com os olhos no futuro. Vivemos cada dia na expectativa da iminente volta de Jesus. Cada geração sucessiva da Igreja desfruta o privilegio de viver como se fosse a geração que haverá de saudar o retorno de Cristo. A esperança do regresso de Cristo tem poder purificador: “E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro”(1João 3:3).
3. A glorificação é a nossa certeza inequívoca – “Que transformará o nosso corpo abatido” (Fp 3:21). Quando o Senhor vier da Sua glória, do Céu, Ele transformará nosso corpo. Quando a trombeta de Deus soar, e Cristo vier com o Seu séquito de anjos, acompanhado dos santos glorificados, os mortos em Cristo ressuscitarão com corpos imortais, incorruptíveis, gloriosos, poderosos e celestiais (1Co 15:43-56). Os vivos, nessa ocasião, serão transformados e arrebatados para encontrar o Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor (1Ts 4:13-18). Nosso corpo de humilhação, sujeito à fraqueza, à enfermidade e ao pecado, será revestido da imortalidade e brilhará como o sol no seu fulgor, brilhará como as estrelas no firmamento, e será um corpo tão glorioso quanto o corpo da glória de Cristo. Seremos “…conformes à imagem de seu Filho” (Rm 8:29). O nosso corpo será semelhante ao corpo da glória de Cristo – “Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é” (1João 3:2b); seremos “conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas” (Fp 3:21).
Porventura existe ou existirá uma promessa tão gloriosa e maravilhosa com esta? E ainda tem pessoas, que se dizem cristãs, que trocam tudo isso por coisas efêmeras desta vida. É simplesmente pasmoso!
Comparar com a glória que em nós há de ser revelada (Rm 8:18). Amém?

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

CADÊ O SEU SORRISO?


O sorriso para mim,
é a felicidade que transborda.
É o recheio de uma alma em paz
que se derrama nos lábios.
É a estampa da face
de quem teve um encontro com Deus
e sabe a alegria que somente nEle
se encontra.
É a força que nos encoraja á lutar,
pois, nEle e por Ele somos mais que vencedores.
"portanto não vos entristeçais; porque a alegria do SENHOR é a vossa força."
Neemias 8:10

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O Valor da Amizade

Numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por um bombardeio.
Os missionários e duas crianças tiveram morte imediata e as restantes ficaram gravemente feridas. Entre elas uma menina de 8 anos, considerada em pior estado. Foi necessário chamar a ajuda por um rádio, e ao fim de algum tempo um médico e uma enfermeira da Marinha dos EUA chegaram ao local. Teriam que agir rapidamente, senão a menina morreria devido ao traumatismo e a perda de sangue. Era urgente fazer uma transfusão, mas como?
Após vários testes rápidos, puderam perceber que ninguém ali possuía o tipo de sangue necessário. Reuniram as crianças e entre gesticulações, arranhadas no idioma tentaram explicar o que estava acontecendo e que precisariam de um voluntário para doar sangue.
Depois de um silêncio sepulcral, viu-se um braço magrinho levantar timidamente. Era um menino chamado Heng. Ele foi preparado às pressas ao lado da menina agonizante e espetaram-lhe uma agulha na veia. Ele se mantinha quieto e com o olhar no teto.
Passado um momento, ele deixou escapar um soluço e tapou o rosto com a mão que estava livre. O médico perguntou-lhe se estava doendo e ele negou. Mas não demorou muito a soluçar de novo, contendo as lágrimas. O médico ficou preocupado e voltou a lhe perguntar, e novamente ele negou. Os soluços ocasionais deram lugar a um choro silencioso e ininterruptível. Era evidente que alguma coisa estava errada.
Foi então que apareceu uma enfermeira vietnamita vinda de outra ala. O médico pediu então que ela procurasse saber o que estava acontecendo com o Heng. Com a voz meiga e doce, a enfermeira foi conversando com ele e explicando algumas coisas, e o rostinho do menino foi se aliviando... Minutos depois ele estava novamente tranquilo.
A enfermeira então explicou aos americanos:
Ele pensou que ia morrer, não tinha entendido direito o que vocês disseram e estava achando que ia ter que dar TODO o seu sangue para a menina não morrer.
O médico se aproximou dele, e com a ajuda da enfermeira, perguntou-lhe:
Mas, se era assim, por que então você se ofereceu a doar seu sangue para ela?
E o menino respondeu simplesmente:
Ela era minha AMIGA!!!!

autor desconhecido

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

60 tipos de crente

60 tipos de crenteDesta feita você vai conhecer 60 tipos de crente. Já ouviu falar em crente quiabo? E em crente 665? Então não deixe de ler este texto até o final.
Antes de mais nada quero dizer que copiei este texto do blogue do Melqui, lá você pode ler diversas postagens bacanas. Mas vamos ao que nos importa, conhecer os tipos de crentes que só Deus para ter misericórdia:
01- Crente Temporada – Um mês na Igreja outro nada
02- Crente Bolsa de Valores – Um dia está em alta, outro dia está em baixa
03- Crente Quiabo – Difícil de pegar
04- Crente Balão de Gás – Vive sempre cheio de ar e sempre explodindo
05- Crente Bule – De “pô café” (pouca fé)
06- Crente Carriola – Só vai se estiver sendo empurrado
07- Crente Chuchu – pega o gosto de qualquer coisa com que esteja em contato
08- Crente Feudal – Acredita que por ter dinheiro manda na Igreja
09- Crente Florzinha de Jesus – Qualquer coisa sai da Igreja com biquinho
10- Crente Gabriela – Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim, Gabriela
11- Crente Papagaio (1) – Precisa ter o pé amarrado e as asas cortadas para ficar na linha
12- Crente Papagaio (2) – Vive repetindo tudo o que falam sem examinar as escrituras
13- Crente Peter Pan – Não quer crescer nunca
14- Crente Pipoca – Vive pulando de Igreja em Igreja
15- Crente Porco-espinho – Vive alfinetando os irmãos
16- Crente Raimundo – Um pé na Igreja e o outro no mundo
17- Crente Rocambole – Sempre enrolado
18- Crente seis horas – Sempre pedindo “seis ora por mim”
19- Crente Transgênico – Modificado, mas não transformado
20- Crente Urso – No inverno, fica em casa hibernando
21- Crente 665 – Quase um besta
22- Crente Denorex – Parece crente mas não é
23- Crente Karatê – Só dá valor se o cara te bens
24- Crente Pão de Forma – Miolo mole, casca grossa, chato e quadrado
25- Crente Passarinho – Voa de Igreja a Igreja
26- Crente Cabeleireiro – Trabalha só pra fazer a cabeça dos outros
27- Crente Sextão – Seis tão orando por mim
28- Crente Pastel de Feira – Muita aparência, mas se nota que por dentro não tem nada
29- Crente Mensalão – Só vem na Igreja uma vez por mês
30- Crente FMI – impõe um monte de restrições e não ajuda ninguém
31- Crente Nuvem – Segue todo vento que passa
32- Crente IÔ-IÔ – Sobe e desce
33- Crente Rojão – É bonito, faz barulho, mas logo se apaga
34- Crente Bingo – É sorte grande aparecer na Igreja
35- Crente E-mail – Meio crente, meio salvo, meio cheio, meio tudo
36- Crente Cangaceiro Lampião – Se tocar nele ele sai dando tiro
37- Crente Praia do Mar – Cheio de onda, chega dar enjôo
38- Crente Moratória – Não paga ninguém
39- Crente 999 – Besta e meio
40- Crente 333 – Meio besta
41- Crente Chiclê – Só mastiga a Palavra, mas não engole.
42- Crente Piolho – Andam pela cabeça dos outros…
43- Crente Sangue-suga – vivem sugando os bens dos irmãos…
44- Crente Urubu – vivem se alimentando da carne dos irmãos… “Hum… hoje vamos comer pastor a milanesa!!!!”
45- Crente 007 – Esse é o agente secreto de Cristo infiltrado no submundo de Satanás…
46- Crente Leão - Não se meta com ele, pois ele é o Rei da Igreja…
47- Crente Jacaré – Tem uma boquinha…
48- Crente Papagaio – Só sabe orar com no máximo usando 20 palavras…
49- Crente Pingüim - Vivem sempre numa geleira espiritual…
50- Crente Chuchu - Não tem gosto de nada…
51- Crente Brastemp -Não tem comparação… (com Cristo)
52- Crente Niguel Mansel - Corre um monte mas nunca ganha uma peleja…
53- Crente Rubinho Barrichelo – Freia no fim da prova só pra deixar todo mundo passar por você na vida espiritual…
54- Crente Tocha – Tá toda hora queimando… “queima demônio, queima…”
55- Crente Kiko do Chaves – Esse não se mistura com a “gentalha”
56- Crente Chapolin – Você pode contar com tudo, menos com sua astúcia…
57- Crente Balaão – Enxerga espiritualmente menos que uma mula…
58- Crente Noé – Nunca as coisas são com ele, “Noé comigo irmão”
59- Crente Aleluia Glória a Deus – Pastor pregando: “Porque o diabo veio para matar…” e o irmão: Aleluia Glória a Deus
60- Crente Cabelereiro – Trabalha só pra fazer a cabeça dos outros…

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Milho de Pipoca

Reflexão


Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua  a ser milho para sempre. Assim acontece com a gente.

As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. 

São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosas. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é melhor. Mas,  de repente, vem o fogo.

O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.

Pode ser fogo de fora: perder um amor, um filho, o pai, a mãe, o emprego ou ficar pobre.

Pode ser o fogo de dentro: pânico, medo, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.

Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo! Sem fogo, o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também. Imagino que a pobre pipoca, dentro da panela fechada, cada vez mais quente, pense que chegou a sua hora: vai morrer. 

Dentro da sua casca dura, fechada em si mesma, não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela.


A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. 

Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: BUM!

E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado. 

Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.

São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, recusam-se a mudar.

Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.

A presunção e o medo são a casa dura do milho que não estoura.  No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria a ninguém.

Autor: Rubem Alves.

Um texto amplamente divulgado na "net" mas que, toda vez que leio me fazer meditar profundamente e refletir sobre o assunto: transformação.


Faço uma pergunta para você, meu grande amigo leitor:
Como você tem se portado diante das circunstancias da vida onde o fogo esquenta com tamanha força? Tens permitido ser transformado ou continua em sua casca dura não querendo transformação?

Em todo nosso caminhar passamos/passaremos por aflições, tribulações, e Jesus nos alertou sobre isso:
"no mundo tereis aflições mas, tende bom animo, eu venci o mundo." João 16.33

Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito (Romanos 8.28) e as dificuldades, as circunstancias, as lutas, não são para morte e sim para vida, para capacitação, para renovação.

"Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" Romanos 12.1-2


Para chegarmos a certas posições que Deus tem para nós, muitas das vezes passaremos por ensinamentos, por situações, por provações, que nos levará a ter mais confiança em Deus. Para que possamos tomar posse da Benção do Senhor precisamos estar atentos aos acontecimentos e não desistir de sonhar. Sonhar em querer ser tudo o que a Bíblia diz que sou. Podemos fazer lembrança de um homem que, para chegar até o palácio foi preciso passar pela prisão. (a pipoca na panela quente)
A trajetória na prisão foi o caminho para alcançar a vitória e o reconhecimento por parte de todos. Imagine se não fosse esse (calor) para estourar e transformar a situação para José, mas mesmo assim ele não blasfemou, não murmurou, passou pela "panela quente" e quando menos se esperava, BUM! a transformação acontece, de escravo, de prisioneiro passa a ser Governador!

Não temas, diz o Senhor para ti, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça. Isaías 41.10

Por que duvidar e não permitir a transformação?
O que você decidiu ser?
Confie em Deus, não fique resistindo a transformação, não queira ser a pipoca que insiste em continuar sem estourar, sem se transformar no que ela foi preparada para ser (uma Benção, uma Alegria para os que estiverem com ela)

Pense comigo! Há vários tipos de produções de milho, mas o milho cultivado para produção de pipoca é uma variedade ESPECIAL, com espigas menores (o menor da casa de Jessé, foi Davi. O menor da casa de Jacó, foi José. O menor da casa de Elcana, foi Samuel. É o menor que Deus quer usar!que as do milho tradicional. Seus grãos podem aparecer em vários formatos (achatados, pontiagudos etc.) e cores (como amarelo, branco, rosa, roxo etc) com tudo isso, digo para você, mesmo com suas diferenças, mesmo com seus defeitos (que você diz que tem), mesmo com suas imperfeições, mesmo com seu jeito mais áspero de ser (pontiagudos), Deus não te esqueceu e quando estiveres passando pelo fogo ele estará contigo, está provação não é para morte mas é para uma nova vida e, vida com abundancia em Cristo.

Erga tua cabeça e seja transformado pela Palavra Profética.
Quanto tudo diz que não, Tua voz me encoraja a prosseguir.
Quando tudo diz que não, ou parece que o mar não vai se abrir.
Sei que não estou só, e o que dizes sobre mim não pode se frustar,
venha em meu favor, oh Deus, é cumpra em mim teu querer.


Você está sendo Transformado para impactar e trazer alegria para tua Família, para tua casa.

Não fique dentro de sua casca, tímido; transforme o ambiente com sua alegria "pipoca"!

Etimologia: "Pipoca" originou-se do termo tupi pï'poka, "estalando a pele", formado pela junção de pira (pele) e poka (estourar).
Aqui eu Aprendi!

Como identificar um "farofa"


O termo "farofa" é muito empregado na minha região para identificar indivíduos que falam muito, constroem enormes castelos de areia, prometem mundos e fundos, mas suas palavras são vazias e pouco significam. São os famosos "abobrinhas", cascateiros, falastrões, os quais, por causa de sua verborragia, acabam metendo os pés pelas mãos. Eles estão entre nós e não nos é muito difícil identificá-los.

O típico "farofa" é cheio de sonhos irrealizáveis. Quando um deles conversa conosco, vemo-nos diante de alguém que, sem exagero, passa a impressão de que será alçado nos próximos dias à condição de Secretário-Geral da ONU tal é a sua obsessão por grandeza e o seu suposto poder de convencimento, com argumentos bem articulados. É o uso da famosa lábia.

Conhece-se também o "farofa" pelo seu oportunismo. Ele está sempre em busca de levar vantagem. Os seus projetos megalomaníacos têm como finalidade, antes de tudo, satisfazer o seu ego e render alguns "cascalhos", porque, afinal, "ninguém é de ferro". O discurso da solidariedade é mera estratégia para furar o cerco e "mamar" em alguma "teta" que estiver disponível ou puder ser dividida com a sua "boquinha" insaciável.

O "farofa" costuma, ainda, ser bazofeiro nas horas mais inoportunas por lhe faltar o senso do ridículo e querer aparecer na "fita" nem que seja fazendo "ponta". Aliás, bem esfarrapada. Ele não se importa em ser exposto desde que a sua "cara" esteja no "pedaço", embora isso lhe possa custar uma repreensão pública. É o típico "papagaio de pirata". Adora aparecer nas fotos alheias.

É, também, hábito do "farofa" pular de galho em galho, com iniciativas atrás de iniciativas, sem nunca concluir quaisquer delas. Nem bem começou uma, já pula para outra. É o famoso autor de obras inacabadas. É o grande especialista do falso empreendedorismo. Embora toque trombone para o que faz, jamais consegue terminar nada. Na verdade, é "farofa" vendida como se fosse filé mignon.

Outra coisa típica do "farofa" é que ele tem a mania de atropelar coisas, pessoas e agenda. É o famoso fura fila. Quer sempre ter a precedência e não respeita o curso natural de qualquer processo. É muito comum vê-lo com um celular na mão, andando de um lado para o outro, querendo passar a impressão de estar falando com uma autoridade, mas se alguém verificar, verá que o aparelho está desligado.

Se você tiver a felicidade de se encontrar ou conviver com um "farofa", cuidado: pode sair todo "enfarofado" ou acabar também tornando-se um "farofa".

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Uma frase inteligente de Fernando Veríssimo sobre a construção sintática de nossos textos: “A sintaxe é uma questão de uso, não de princípios. Escrever bem é escrever claro, não necessariamente certo. Por exemplo: dizer "escrever claro" não é certo mas é claro, certo?” 
Atribui-se a Vesíssimo o texto interessante Dez coisas que Levei Anos para aprender
_________

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.
2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.
3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.
4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.
5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.
6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.
7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria “reuniões”.
8. Há uma linha muito tênue entre “hobby” e “doença mental”.
9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.
10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão… que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim… e que valeu a pena!"

Pastor Samuel Câmara fala sobre as manifestações e atual situação social

samuel camara
É inegável que o Brasil é um país abençoado por Deus. É de concordância geral que temos tudo de que precisamos para obtermos prosperidade e riqueza, para sermos livres, educados e respeitados… e muito felizes. Precisamos, sobretudo, que a autoestima do nosso povo seja decorrente disso, não da dependência de conquistas futebolísticas, e também que sua alegria não se restrinja ao frenesi dos carnavais nem de embalos etílicos ou de arroubos psicodélicos.
Somos ainda vistos por muitos, aqui e lá fora, apenas como o país do futebol e do carnaval. Uma antiga canção popular reconhece a bênção de Deus sobre o nosso país, quando afirma: “Moro num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza”. Mas tudo que reconhece como bênção, além de uma natureza tropical exuberante, é o carnaval e o futebol, as amizades e umas poucas posses.
Parece que está impregnada na alma da nação a sina de sermos um povo alegre, mas sempre pobre; de alma quente, mas de futuro sombrio; de muitas escolas, mas de pouca educação; de fartura de tudo e escassez do que se precisa para viver bem. Ainda continuamos sendo vistos aos olhos de muitos como o país do futuro, infelizmente, um futuro que nunca chega nem tem hora marcada para acontecer. Ainda somos um “gigante pela própria natureza”, mas que se posta como um “impávido colosso” e descansa lânguido “deitado eternamente em berço esplêndido”. O que deu errado? O que nos falta? Como poderemos acertar? Como salvar o Brasil dessa sina depauperante?
Um episódio pitoresco da história do Brasil fornece importantes subsídios para nos ajudar a entender algumas de nossas necessidades históricas como nação. Refiro-me à carta de Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal D. Manuel, escrita no dia primeiro de maio de 1500, de um “porto seguro da Ilha de Vera Cruz”. Depois de afirmar que “nesta terra, em se plantando dar-se-á nela tudo”, Caminha escreveu: “Mas, o melhor fruto que nela se pode fazer, me parece, que será salvar essa gente, e esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza nela deve lançar”.
De fato, estamos colhendo aquilo que foi plantado durante esses quinhentos anos, e obviamente jamais poderemos colher o que não foi plantado. Somos frutos de escolhas das gerações passadas, das sementes, boas ou más, que foram lançadas nessa terra fértil que “em se plantando dar-se-á nela tudo”.
Todavia, se tudo o que colhemos ao longo de cinco séculos não nos respalda aos olhos do mundo (e aos nossos próprios) como uma grande nação, isso mostra que deixamos de entender uma parte da preciosa lição de Pero Vaz de Caminha, de que poderemos plantar o que quisermos, mas principalmente a semente certa, aquela que resultar na salvação do nosso povo.
Essa é a inegável lógica da lei da semeadura e da colheita: “O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá” (Gl 6.7). Portanto, se queremos um povo mais bem preparado, temos de plantar educação. Se desejamos um povo sábio, temos de plantar o temor do Senhor, que “é o princípio da sabedoria” (Pv 9.10). Se pretendemos uma geração patriota, precisamos plantar princípios morais e cívicos. Se queremos um povo trabalhador, temos de plantar oportunidades de emprego. Se desejamos ter um povo saudável, devemos plantar políticas preventivas de saúde. E assim sucessivamente…
Depois de cinco séculos da carta de Caminha, não é difícil concluir que, nesta terra, o melhor fruto que nela se pode produzir continua sendo salvar o seu povo — da miséria, da ignorância, da fome, da doença, do abandono, da injustiça, e também do pecado — e que é preciso fazer disso tudo uma conquista de todos os brasileiros.
Esse investimento de plantar a semente certa tem que ser uma constante, até que todas as amarras da pobreza, da injustiça e da ignorância sejam quebradas. É plantar, ou não colher. A conjunção “ou” é excludente: se não plantamos vida, nos encontrará a morte, que pode brotar por caminhos tais como: mortalidade infantil, violência urbana, drogas, criminalidade, favelização das cidades, falta de cidadania etc.
Parece-me que na maior parte da sua história os destinos do Brasil estiveram entregues nas mãos de governantes mesquinhos e faltos de patriotismo, cujos interesses pessoais sempre ficaram acima do interesse público. Ao olharem mais para o próprio umbigo, deixaram de perceber (ou não quiseram ver) que uma pátria se constrói ao longo do tempo; que a prosperidade não é gerada com esmolas públicas, mas com trabalho digno; nada é feito por decreto, mas com sementes certas plantadas em solo fértil.
Precisamos igualmente plantar sementes de lideranças, com voto e oração, pedindo ao Senhor que nos dê frutos de líderes segundo o seu coração, para nos liderarem “com conhecimento e inteligência” (Jr 3.15).
A salvação do nosso povo, porém, tem uma dimensão essencialmente espiritual. O povo precisa ser liberto das trevas espirituais e chegar ao pleno conhecimento do Senhor, pois “bem-aventurado é o povo a quem assim sucede! Sim, bem-aventurado é o povo cujo Deus é o Senhor!” (Sl 144.15).
Deus salve o Brasil!

quinta-feira, 11 de julho de 2013

AS BANANAS E O PRECONCEITO

 


 
Numa experiência científica um grupo de cientistas, colocou cinco macacos numa jaula. No meio uma escada e sobre ela um cacho de bananas.

Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, os cientistas jogavam um jato de água fria nos que estavam no chão.

Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e batiam muito nele.

Com mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, sendo retirado pelos outros que o surraram.

Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

Um segundo foi substituído e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo da surra ao novato.

Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu.

Um quarto e, afinal, o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas então ficaram com o grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles porque eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui".


Albert Einstein dizia: "É mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito".
 
Autor: Desconhecido.
 
NÃO EXISTE TRANSFORMAÇÃO SEM SACRIFÍCIOS!
 


 
É PRECISO SEGUIR EM FRENTE, MESMO QUE NINGUÉM ACREDITE, SE VOCÊ CRER EM DEUS E CRER EM VOCÊ, CONSEGUIRÁ VENCER! 

.


Por Por Tim Challies 


Nada enriquece mais o inferno do que falsos mestres. Ninguém tem maior alegria em atrair as pessoas para longe da verdade, levando-as ao erro. Falsos mestres tem estado presentes em todas as eras da história humana; eles tem sempre sido uma praga e sempre estiveram no ramo da falsificação da verdade. Enquanto suas circunstâncias podem mudar, seus métodos permanecem constantes. Aqui estão sete marcas dos falsos mestres.

1 - Falsos mestres são bajuladores dos homens. O que eles ensinam é para agradar mais aos ouvidos do que beneficiar o coração. Eles fazem cócegas nos ouvidos de seus seguidores com lisonjas e, enquanto isso, tratam coisas santas com esperteza e negligência ao invés de reverência e temor. Isso contrasta bruscamente com um verdadeiro mestre da Palavra que sabe que é responsável perante Deus e que, por isso, anseia mais agradar a Deus do que aos homens. Como Paulo diria, “pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração” (1 Tessalonicenses 2.4).

2 - Falsos mestres guardam suas críticas mais severas aos servos mais fiéis de Deus. Falsos mestres criticam aqueles que ensinam a verdade e guardam suas críticas mais acentuadas para aqueles que se apóiam com firmeza no que é verdadeiro. Nós vemos isso em muitos lugares na Bíblia, como quando Corá e seus amigos se levantaram contra Moisés e Arão (Números 16.3) e quando o ministério de Paulo estava ameaçado e minado pelos críticos que diziam que, enquanto suas palavras eram fortes, ele mesmo era fraco e sem importância (2 Coríntios 10.10). Vemos isso mais notavelmente nos ataques viciosos das autoridades religiosas contra Jesus. Falsos mestres continuam a repreender e menosprezar servos fiéis de Deus hoje. Entretanto, como Agostinho declarou, “Aquele que prontamente calunia meu bom nome, prontamente aumenta a meu galardão”.

3 - Falsos mestres ensinam sua própria sabedoria e visão. Isso certamente era verdade nos dias de Jeremias quando Deus disse “Os profetas profetizam mentiras em meu nome, nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, adivinhação, vaidade e o engano do seu íntimo são o que eles vos profetizam” (Jeremias 14.14). E, hoje também, falsos mestres ensinam a loucura dos meros homens ao invés de ensinarem a mais profunda e rica sabedoria de Deus. Paulo sabia: “pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos” (2 Timóteo 4.3).

4 - Falsos mestres deixam passar o que é de suma importância e, ao contrário, se focam nos pequenos detalhes. Jesus diagnosticou essa tendência nos falsos mestres de seu tempo, advertindo-os, “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” (Mateus 23.23). Falsos mestres colocam uma grande ênfase na sua aderência aos pequenos comandos mesmo quando ignoram os grandes. Paulo advertiu Timóteo daquele que “é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas,  altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro” (1 Timóteo 6.4-5).

5 - Falsos mestres obscurecem sua falsa doutrina por trás de um discurso eloquente e do que parece ser uma lógica impressionante. Assim como uma prostituta se pinta e se perfuma para parecer mais atraente e sedutora, o falso mestre esconde sua blasfêmia e doutrina perigosa atrás de argumentos poderosos e de um uso eloquente da linguagem. Ele oferece aos seus ouvintes o equivalente espiritual a uma pílula venenosa revestida de ouro; embora possa parecer bonita e valiosa, permanece sendo mortal.

6 - Falsos mestres estão mais preocupados em ganhar os outros para a sua opinião do que em ajudá-los e melhorá-los. Esse é outro diagnóstico de Jesus quando ele refletiu sobre as normas religiosas dos seus dias. “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós!” (Mateus 23.15). Falsos mestres não estão em última instância no ramo de melhorar vidas e salvar almas, mas no ramo de convencer mentes e ganhar seguidores.

7 - Falsos mestres exploram seus seguidores. Pedro avisa acerca desse perigo, dizendo: “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (1 Pedro 2.1-3). O falso mestre explora aqueles que o seguem porque eles são gananciosos e desejam as riquezas desse mundo. Sendo essa uma verdade, eles sempre ensinarão princípios que satisfazem a carne. Falsos mestres estão preocupados com os bens deles, não com o seu bem; querem servir a si mesmos mais do que aos perdidos; estão satisfeitos em Satanás ter a sua alma contanto que eles possam ter as suas coisas.

Traduzido por Kimberly Anastacio

Você está matando pessoas no Facebook?

  
Stephen Altrogge
Stephen Altrogge

Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, Snapchat, SMS, e-mail e outras formas de comunicação online têm bastante potencial para o bem. Elas podem ser usadas para encorajar pessoas, fazê-las rir, compartilhar informações úteis, sentir-se mal sobre como sua casa parece tosca (veja o Pinterest) e jogar um jogo chamado “Candy Crush”, que ainda tenho que jogar.
Redes sociais também podem ser usadas para matar uma pessoa.
Provérbios 18.21 diz:
A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.
Uau. Minhas palavras têm poder de transmitir vida a alguém ou matá-lo. Morte e vida estão no poder da língua, da atualização de status, fotos e mensagens de texto. Cada palavra que eu falo ou digito carrega um enorme potencial para dar ou tomar vida. Palavras não são neutras. Atualizações de status não são inocentes. As palavras que falamos e digitamos hoje reverberam na eternidade.
Tiago 3.5-6 diz:
Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia. A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.
Minhas palavras têm o potencial de criar chamas consumidoras, ardentes, crepitantes. Com minhas palavras, eu incendeio pessoas por Jesus ou incendeio pessoas por maldade. Imagine como eu seria cuidadoso se toda vez que falasse uma pequena explosão de fogo saísse da minha boca! Eu falaria sempre com muita cautela. Mas, normalmente, não me preocupo com as palavras que posto. Eu não as enxergo como explosivas. Consumidoras. Flamejantes.
Em seu comentário em Provérbios, Ray Ortlund Jr. diz:
Na verdade, quando Provérbios 10.21 diz que “as palavras dos justos dão sustento a muitos”, as palavras “dão sustento” significam “apascentam”, a maneira como um pastor cuida, guia, protege e alimenta seu rebanho de ovelhas. Isso quer dizer que todos nós temos responsabilidade de insuflar vida a todos ao nosso redor com nossas palavras de encorajamento.
Como cristãos, temos uma responsabilidade divina de soprar vida sobre aqueles ao nosso redor com nossas palavras de encorajamento. Nossas palavras, atualizações, SMSs, fotos e e-mails insuflam vida sobre os que nos rodeiam? Eu quero crescer nessa área.
Aqui vão algumas perguntas simples a fazer enquanto falamos, postamos ou enviamos:
  • Isso ajuda os outros a pensar de maneira piedosa sobre [insira uma pessoa como o/a Presidente, um pastor, um amigo, um blogueiro, uma igreja, etc.]?
  • Isso promove fé em Deus ou inquietação?
  • Isso transmite vida a pessoas através de encorajamento, riso, fé ou mentalidade bíblica?
  • O que estou dizendo terá um efeito prejudicial sobre a reputação de alguém de uma maneira que seja injusta a ele e não lhe dará a chance de responder por si mesmo?
  • Isso promove gratidão a Deus e alegria nele?
  • Isso encoraja outros a confiar em Deus diante da adversidade?
Nossas palavras têm o poder de dar vida ou morte, de incendiar para o bem ou para o mal. Peçamos a Deus que nos dê sabedoria em tudo que falarmos, postarmos e enviarmos.

terça-feira, 9 de julho de 2013


Projeto Desperta Goiânia Orientações gerais:

Desperta Goiânia - Facebook
- Todas as pessoas deverão se locomover para o local do evento mais cedo.
- Usar roupas confortáveis.
- Levar celular ou rádio de mão para sintonizar as emissoras que estarão transmitindo do local, para receber orientações e comandos de oração.
- Levar água, bíblia etc.
- Se organizar em grupos no trajeto de ida e volta para a Praça Cívica, não devemos andar só.
- Não levar somas grandes de dinheiro.
- Evitar todo e qualquer confronto e tumulto,
- Retirar do local do evento todo e qualquer tipo de lixo, que for produzido à sua volta (levar sacos de lixo pequeno).
- Levar um tapete ou almofada para ser usado durante o período de oração que será feito de joelhos (as 19 hrs).
Pauta de oração e jejum para todas as igrejas participantes do evento
Estamos orientando a todas as igrejas para que tenham no período do dia 22 a 26 de julho, um tempo de oração em suas Igrejas Locais. Sugerimos uma hora (cada um se organiza como preferir).
Jejum:
- Sugerimos “jejum” para todos os que podem fazê-lo, durante a semana do dia 22 a 26 de julho, tirando no mínimo, uma das principais refeições diárias.
Alvos de Oração:
1 – Orar para que todos os líderes de ministérios de Goiânia, abram o coração para se envolverem e permitam que suas ovelhas estejam presentes.
2 – Orar pela proteção de todas as pessoas que estarão no evento,
3 – Orar proibindo infiltrações de pessoas de má índole, proibindo todo e qualquer tipo de vandalismo.
4 - Orar proibindo qualquer influência de espíritos de roubo e violência.
5 – Orar para que a unção do Espírito Santo se manifeste no meio do povo de Deus.
6 – Orar pela comunhão do corpo de Cristo nesse evento.
7 – Orar para que a Glória seja do Senhor Jesus Cristo, e não de nenhum ministério pessoal.
8 – Orar para que nenhum proveito possa ser tirado deste evento, através de politicagens ou promoções pessoais.
9 – Orar pela unidade do conselho de Pastores de Goiânia.
10 – Orar pelos poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.
11 – Orar pelo Prefeito e Vereadores, Governador e Deputados Estaduais, Pela Presidente do Brasil, Senadores e Deputados Federais.
12 – Louve e adore ao Senhor, por seus grandes feitos.
“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” II Cr. 7:14.
---
Abraços.